06/03/2014

Resenha - Dias de sangue e estrelas (Laini Taylor)

Título: Dias de sangue e estrelas
Título original: Days of blood and starlight
Autor: Laini Taylor
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580574067
Páginas: 448
Ano: 2013

Sinopse: Karou, uma estudante de artes plásticas e aprendiz de um monstro, por fim encontrou as respostas que sempre buscou. Agora ela sabe quem é — e o que é. Mas, com isso, também descobriu algo que, se fosse possível, ela faria de tudo para mudar: tempos atrás Karou se apaixonou pelo inimigo, que a traiu, e por sua culpa o mundo inteiro foi punido.

Na deslumbrante sequência de Feita de fumaça e osso, ela terá que decidir até onde está disposta a ir para vingar seu povo. Dias de sangue e estrelas mostra Karou e Akiva em lados opostos de uma guerra ancestral. Enquanto os quimeras, com a ajuda da garota de cabelo azul, criam um exército de monstros em uma terra distante e desértica, Akiva trava outro tipo de batalha: uma batalha por redenção... por esperança.
Mas restará alguma esperança no mundo destruído pelos dois?



A trama: Em Dias de sangue e estrelas, conhecemos os dois lados da história: serafins e quimeras; acompanhamos a dor, vergonha, aflição e obstinação por parte dos personagens numa história com um tema fictício, mas com acontecimentos muito reais - batalhas, traição, escravidão, lutas por territórios, por sobrevivência. Nós mergulhamos no passado de duas almas que encontraram o amor em meio à perdas, desolação e barreiras. 
Assim como Karou e Akiva, Eretz está partido em dois em uma luta que vem de anos. 
Karou se sente traída e está devastada. Seu coração foi despedaçado pelo inimigo, que lhe tirou tudo o que ela amava.
Akiva não sabe onde Karou está. Ela o deixou. Não há punição pior para ele, mas Akiva sabe que merece. 
Antes, um desejo de paz e um osso partido. Agora, apenas corações partidos. 
Madrigal. Tantas memórias. Ela já foi punida uma vez: a morte. Seu assassino? O Lobo.
Karou. Agora, sua punição é a raiva e a vergonha pela sua traição.
Eles estão prestes a descobrir quem são seus verdadeiros inimigos. Uma grande batalha ainda está por vir.

Os personagens:  os personagens da trama são muitos. Muitos mesmo. Mas mesmo assim, a autora os construiu muito bem e fala muito sobre cada um deles.  Algo que eu amei no livro perante TODOS os personagens, é que Laini não os deixa parecer apenas bonzinhos ou malvados, emotivos demais ou do tipo "garanhão" o tempo todo. Ela mostra as consequências da guerra nas atitudes, na mente e nos sentimentos deles. Sobre Karou, percebemos que ela está muito afetada com tudo o que ela descobriu e começou a viver. Ela está totalmente diferente. Não é mais aquela garota alegre, com um humor sarcástico e com todos aqueles que a criaram desde pequena. Ela está mais fria, madura e sombria. Porém, há alguns momentos do enredo que vemos a antiga Karou. Akiva é um anjo atormentado pelo seu passado, que fez escolhas que o contradiz várias vezes. Ele é amável, insensível, brutal, leal e honesto. Zuzana, melhor amiga de Karou, é engraçada, sincera, corajosa, determinada e fiel.
Apesar de parecerem confusos e bobos, os sentimentos de cada um combinam perfeitamente com eles e se encaixam muito bem na história.


Conclusão: eu já estava desesperada para começar a lê-lo após aquele final arrebatador de Feita de fumaça e osso (clique aqui para ler a resenha). Nos livros há tantas metáforas maravilhosas e criativas. Laini conseguiu escrever uma época de horror e conflitos entre anjos e quimeras de uma maneira tão...tão...MAGNÍFICA! Ela melhorou tanto de Feita de fumaça e osso para Dias de sangue e estrelas. Nunca imaginei algo assim. Terminei minha leitura com o coração à mil, quase saindo pela boca!
"[...] O que a percorreu naquele instante foi amargura, uma pontada dupla: uma quando ela pensou que fosse ele. E outra quando percebeu que não era."
"[...]Amor e prazer e esperança, a grandeza do sonho que a preenchera durante aquelas semanas - ela nunca fora, em nenhuma das suas duas vidas, tão feliz como naquela época - e a delicadeza do osso da sorte que ela e Akiva haviam segurado juntos, os nós dos dedos se tocando justo antes do osso se partir."



Um comentário:

  1. Eu já ouvi falar muito bem de Feita de Fumaça e Osso, mas não sei por que nunca tive vontade de ler; parece ser uma leitura cansativa. Mas eu gostei do jeito como você descreveu a continuação, ficou super interessante.
    Beijos, http://coemundo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

1. Comente aqui, quero saber o que achou do post! Fico feliz em responder.
2. Clique em "Seguir" para acompanhar postagens como essa e me ajudar!
3. Caso queira propôr parceria, collab ou algo do tipo, clique em "Contato" e vamos conversar por e-mail.
4. Pode deixar o link de seu blog/site, gosto de visitar outros blogs!
5.Mi casa es su casa. Volte sempre!