07/05/2014

Resenha - Garotas de vidro (Laurie Halse Anderson)

Título: Garotas de Vidro
Título original: Wintergirls
Autor: Laurie Halse Anderson
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581630113
Páginas: 269  
Ano: 2013

Sinopse: Lia está doente e sua obsessão pela magreza a deixa cada vez mais confusa entre a realidade e a mentira. Mas ela perde totalmente o controle quando recebe a notícia de que sua melhor amiga, Cassie, morreu sozinha em um quarto de motel. E o pior: Cassie ligou para Lia 33 vezes antes de morrer. O que começou como uma aposta entre duas amigas para ver quem ficaria mais magra tornou-se o maior pesadelo de duas adolescentes reféns de seus próprios corpos. Ao negar seu problema, Lia impõe a si mesma um regime cruel em que contar calorias não é o bastante. Ao omitir seu desespero, apela ao autoflagelo numa tentativa premeditada de aliviar seus tormentos. Seus pais e sua madrasta tentam ajudá-la a qualquer custo, mas nem mesmo sua doce irmã, Emma, consegue fazer com que Lia pare de se destruir. Agora, Lia precisa encontrar um modo de lidar com todos os seus fantasmas, e a morte de Cassie é um deles. 


Lia é uma adolescente que vive com seu pai, "um renomado escritor", com sua madrasta e com sua (quase) irmãzinha.
Quando a adolescente era alguns anos mais nova, numa noite gelada de final de ano, Lia e sua inseparável melhor amiga, Cassie, fizeram um juramento de sangue em serem as garotas mais magras do colégio. Que elas seriam as mais magras e mais bonitas juntas. O que era para ser uma promessa de apoio e aceitação pessoal de ambas, acabou se tornando numa catástrofe ainda maior quando em alguns anos depois, Lia recebe a notícia de que sua melhor amiga morreu em um quarto de hotel, sozinha, envolvida com comprimidos e álcool. E, antes de morrer, Cassie ligou para Lia 33 vezes, porém, ela recusou todas as ligações. Seu mundo inteiro desabou.
Como se não bastasse a confusão em sua mente pela obsessão pela magreza, insatisfação em relação ao seu corpo, a solidão e a falta de sua mãe por conta de desavenças, ocupação e distância, Lia se vê atormentada pela morte e espírito de sua velha melhor amiga.

Nós esfregamos as mãos e misturamos nosso sangue porque era proibido e perigoso. As estrelas giravam sobre nós e os fogos queimavam. A Lua ficou de guarda enquanto as gotas de sangue caíam, sementes descuidadas que chiavam quentes sobre a neve.
Garotas de Vidro é narrado pela Lia desde que ela descobre que Cassie foi encontrada morta. Ela vai narrando aos poucos suas lembranças dos momentos em que passaram juntas e, assim, a história vai ligando pontos e ganhando uma "aparência" definitiva. Podemos ver as mudanças de humor e o ódio que Lia tem por si mesma. Feia, gorda, delinquente, estúpida, louca, drogada, imprudente, anoréxica, solitária, medrosa, paranóica... junte tudo isso na mente de uma pessoa perdida e angustiada. Ela se desfazerá em cacos. Imagine só na situação de alguém que causou isso tudo em sua própria mente. Apenas imagine.

[...] -Você não se importa que seus pais estejam no fundo do poço? Você não deveria ter feito isso. Você deveria ter pedido ajuda.[...]   
-Eu tentei. -As chamas nos olhos dela queimam minhas bochechas. - Você não atendeu o celular.

Lia deseja aquele pedaço de pizza, aquela garfada daquele bolo, aquele copo de refrigerante, mas ela não deixa isso entrar em sua mente. Ela conta as calorias que fará parte de seu corpo se ela ingerir toda aquela porcaria comida. Ela se corta para se livrar dessa aflição. Mas a autora não diz isso tudo diretamente. E como eu sei disso? Eu mergulhei na história e explorei a mente da personagem. Uma personagem que está caminhando para o abismo em que sua amiga caiu.

-Você não está morta, mas também não está viva. Você é uma garota gelada, Lia-Lia, presa entre dois mundos. Você é um fantasma com um coração que bate. Logo você vai cruzar a fronteira e ficar comigo. Estou tão empolgada. Tenho tanta saudade. 

A escrita de Laurie é bem clara e sem nenhuma enrolação. Eu senti o que os personagens sentiam de tão boa que é essa escrita. Posso dizer que foi difícil para eu ler algumas partes pois há cenas tão tensas e chocantes, mas ainda assim, foi bom ter uma boa noção do que uma pessoa com esse tipo de problema pensa. 

"A verdade nem sempre é o que enxergamos."

4 comentários:

  1. Oi! Eu li Garotas de Vidro e, apesar de ter gostado, achei um livro fraco. Acho que a história poderia ter sido mais explorada e mais trabalhada. Mas amei a capa - não conta muito, mas, né...
    Beijos,
    coemundo.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu achei bem legal os acontecimentos e concordo que poderia ser mais desenvolvida, já que é um tema bem forte. E essa capa... nossa, me encantou bastante! haha

      Excluir
  2. Oi!!!
    Nossa...a história desse livro me chocou bastante. Ainda não li, mas pela sua resenha, deu pra ver que ele é bem pesado e trata de um assunto que ainda é um tabu pra nossa sociedade. Já estou adicionando o título a minha listinha. ;)
    Pepê~ http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando eu ouvi falar desse livro, quis obtê-lo o mais rápido possível, já que nunca tinha lido com um livro com esse tema. Achei bem interessante a forma que a autora desenvolveu o enredo, vale muito a pena! Até mais!

      Excluir

1. Comente aqui, quero saber o que achou do post! Fico feliz em responder.
2. Clique em "Seguir" para acompanhar postagens como essa e me ajudar!
3. Caso queira propôr parceria, collab ou algo do tipo, clique em "Contato" e vamos conversar por e-mail.
4. Pode deixar o link de seu blog/site, gosto de visitar outros blogs!
5.Mi casa es su casa. Volte sempre!